Pictures

Pictures

Picctures

5 de set de 2015

Minha Esposa me Traiu 2 – O outro dia

Pois então, naquela noite eu fui dormir de pau duro, porém com uma raiva da minha mulher, pois durante anos de namoro e de casados nunca nos traímos, então nem encostei nela. No outro dia de manhã ela acordou e como sempre fazia me deu um beijo na boca e levantou para tomar banho, escovar os dentes, se arrumar para descer-mos para enfrentar-mos mais um dia de farra. Ao beija-la senti ainda o cheiro de sexo na boca dela, cheiro de pica. Não entendo o que aconteceu na hora. No mesmo que me deu ódio, senti prazer. Acho que estava gostando da idéia de ser corno. Enfim. Levantamos, nos ajeitamos e descemos.
O nosso amigo que comeu ela e dormiu na nossa casa já estava de sunga na cozinha procurando o que comer no café e ninguém ainda tinha chegado em casa. Sentamos na mesa, eu inquieto com a situação falei:
– Eu queria conversar uma coisa com vocês.
Minha esposa me olhou com uma cara de assustada. Ele ficou pálido.
Eu disse:
– Calma. Vou aproveitar que ninguém ainda chegou e quero falar com vocês dois pois, apesar de eu está bêbado ontem a noite vi o que aconteceu.
Minha esposa disse o de sempre que era pra eu me acalmar, que não aconteceu nada, que ela nunca tinha feito nada daquilo, que pensava que era eu deitado e que quando percebeu que não era eu, bateu nele e mandou ele ir embora.
Quem acompanhou o outro com tô sabe que é mentira pois, até namorado dela seria.

– Amor eu estou calmo. Aliás, eu fiquei com raiva, me deu vontade de dar portada nos dois. Mas a raiva passou. Eu nunca vi você chupá um pau como você chip ou o dele. Nunca vi você dar a buceta como você deu ontem.
– Vamos fazer assim. Pra ele ver que nos trepamos gostoso também.
– Coloque a mesa do café pra ele e vamos fuder aqui pra ele ver enquanto toma café.
Ela colocou a mesa com ele na cabeceira e ele sentado ficou observando. Foi a vez dele de ser voyeur.
Eu disse:
– Não tira o olho dele. Não deixa ele tocar em você.
Comecei a beija-la no pescoço, na orelha, na boca. Ela olhando pra ele e pegando no meu pau por cima da sunga.
A gente se esfregando do lado dele eu via que ela olhava nos olhos dele e olhava para o pau dele. Eu a beijando, puxei o sutiã do biquíni pra baixo pra chupá os peitos dela. Beijava a sua barriga e subia até as orelhas. Ela não tirava o olho dele.
Como ela estava de fio dental tudo socado no cú, e sentada em cima da mesa e eu acariciando, ele tentou passar a mão nela. Eu parei e disse que não. Ele tinha que só observar. Ele questionou.
– Mas a tua mulher é muito gostosa para ficar olhando. Eu não resisto.
Eu indaguei.

– Se você tivesse olhado para trás ontem, ia ver que eu estava na porta doido de tesão, querendo fuder a minha mulher. Então, sua vez de olhar.
Continuei a beijar e fui descendo. Arredei a calcinha do biquíni para o lado e comecei a chupá a buceta dela. Ela estava tão lubrificada que eu não resisti. Levantei dei um tapinha na cara dela e a chamei de safada e voltei a chupá. Para uma posição melhor ela se deitou na mesa e eu permiti que ela colocasse a cabeça no ombro dele. Ele beijando ela no pescoço eu eu chupando a buceta dela. Ela gemendo e lubrificando ainda mais. Eu nunca vi minha mulher lubrificar tanto. Ele quis beijar na boca, eu não deixei. De tanta safadeza ela gozou na minha boca. Saiu um gozo, salgadinho, delicioso.
Mandei ela ficar de quatro virada pra ele, chupando a minha pica. Perguntei se ela queria que ele chupasse a buceta. Ela respondeu que sim com a minha pica toda na boca balançando a cabeça. Ela não falou, só balançou a cabeça. Fizemos um trenzinho. Ele sentado chupando a buceta dela, ela de quatro na mesa e eu em pé ganhando um boquete maravilhoso.
Só escutei quando ela disse. Vou gozar. Eu na mesma hora também. Ela chupando o meu pau, eu gozándo na boca dela e ela falando. Hummm Hummm. Delicioso. E engolindo o meu gozo.
Eu virei ela de quatro pra mim e disse:
– Agora veja como ela gosta de ser fodida. Agora você vai só olhar. Não pode tocar.
Eu meti a cabeça, segurei no cabelo e no mesmo momento que eu meti a pica, puxei ela contra mim pelos cabelos. Quando meu pau chegou no fundo ela gozou que pingava na mesa o gozo dela. Fiquei penetrando nela mais um tempo e gozei dentro. Ela também gozou de novo.
Ele perguntou se poderia meter nela já que ele estava com muito tesão de ver eu fodendo a minha mulher . Na mesma hora a campainha tocou. Era os outros amigos na porta para aquele domingo de farra. Mas eu disse pra ele.
– Calma. Daqui a pouco. Não fala pra ninguém. Segredo nosso. Senão vais perder.

Nenhum comentário: