Pictures

Pictures

Picctures

28 de fev de 2012

Mênage Inesquecível

Primeiro Menage de uma Mulher Casada em Londrina - Paraná
Tem um ditado que diz assim: “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”. Essa frase serve bem para ilustrar a nossa primeira aventura a três. Primeiramente deixa-me apresentar: meu nome é Mônica, tenho 42 anos, 1,55m de altura, 59 kg, morena clara, cabelos longos e escuros, seios médios e bumbum arredondado. Sou casada a 17 anos com João, 44 anos, paixão da minha vida, com quem tenho lindos filhos.
Nossa história começa há quase 20 anos, quando o então meu namorado, e hoje marido, começou a me instigar na cama, na hora do sexo, dizendo que tinha a fantasia de me ver gemendo no pau de outro homem. Essa tara dele quase me fez terminar o namoro, pois não aceitava em nenhuma hipótese que isso um dia viesse a acontecer. O tempo passou e ele nunca desistiu dessa fantasia a ponto de até me irritar com essa sua insistência, pois sempre tivemos uma vida sexual muito intensa, mas ele nunca estava satisfeito e eu procurava inovar para que meu casamento nunca caísse na rotina, pois, em se tratando de sexo, sempre fui muito criativa na cama. Acontece que para o safado do meu marido, parece que sempre estava faltando algo e ele me dizia que não ia desistir de seu objetivo e na hora do sexo sempre falava baixinho no meu ouvido, me pedindo para que eu imaginasse outro homem entre nós.
Com o tempo eu percebi que a fantasia do meu marido não era assim coisa de outro mundo e lendo contos eróticos vi que tinha muitos maridos safados como ele querendo ver a esposa com outro homem na cama. A insistência foi tanta que eu comecei a ficar excitada quando ele tocava nesse assunto e aos poucos fui abrindo minha cabeça para este mundo até então totalmente desconhecido para mim.
Um dia resolvi entrar numa dessas salas de bate papo, mas nunca me interessava por ninguém, pois sempre pensei que sexo por sexo eu tinha em casa e era de excelente qualidade. Eu queria algo diferente e que valesse a pena, pois aquela fantasia tinha deixado de ser apenas do meu marido e passara a ser minha também.
Entrei por vários dias seguidos nas salas de bate papo de Londrina e quando já estava pensando em desistir, encontrei um homem com o perfil que eu desejava. Era início de 2008 quando começamos a teclar e, depois de quatro meses, tomei coragem e aceitei o convite dele para um café num local público, pois eu não poderia me arriscar e nem ele, pelo fato de ser casado. No dia marcado, às 10 horas da manhã lá estávamos eu e meu marido, ansiosos pela chegada do nosso amigo. Queria ver se ia bater a tal química, pois por foto eu havia gostado e, nas nossas conversas eu já percebia que tínhamos muitas afinidades. No horário combinado entra o Marcos, um homem elegante com 1,87 de altura, cabelos já meio grisalhos, enfim logo percebi que poderia rolar a tal “química”. Conversamos por duas horas sobre tudo, inclusive sobre a nossa fantasia e as experiências que ele já tinha tido com outros casais. Na conversa percebi que o Marcos não tirava os olhos da minha boca carnuda e vez ou outra, discretamente, também olhava minhas coxas embaixo daquela calça jeans apertada. Quando saímos daquele encontro, antes mesmo de chegar ao nosso carro meu marido me perguntou se eu havia gostado do Marcos, respondi que sim, mas que ainda não me sentia preparada para viver este momento. Cheguei em casa, e ainda confusa com aquela situação, resolvi excluir todos os meus contatos do MSN, inclusive o Marcos.
Quatro longos anos se passaram e o meu marido ainda persistia na sua fantasia de me ver com outro homem, mas agora eu também estava cada dia mais acesa, mas ainda com muitas dúvidas. Nesse período fomos conhecer mais dois rapazes, mas de cara não rolou a química e também eram mais jovens que eu, apesar de um deles ser muito bonito, mas acabei desistindo mais uma vez.
Dizem que ano novo, vida nova, e assim prometi ao meu marido que 2012 seria diferente. Dia 22 de janeiro estava eu numa sala de bate, quando entra um certo “Casado45” e me chamou para conversar. Dois minutos de um papo agradável e eu o adicionei no meu novo MSN. Marcos também tinha mudado o MSN dele e ai começamos a teclar como se nunca tivéssemos nos conhecido. Como ele não tinha foto, resolveu compartilhar uma comigo e qual não foi minha surpresa que era exatamente o mesmo Marcos que eu havia conhecido a quatro anos. Perguntei se ele por acaso não usava outro MSN e ele confirmou. Não tive dúvidas e chamei meu marido para ver se ele se lembrava. Marido olhou para mim, sorriu e disse: dessa vez você não escapa. Na conversa o próprio Marcos se lembrou, inclusive dando detalhes de como eu tava vestida naquele dia. Obviamente ele quis saber porque eu tinha sumido e foi logo indagando se já havíamos realizado a nossa fantasia, respondi que ainda não, mas que tava decidida, pois afinal foram quase 20 anos torturando meu marido. Marcos, muito esperto, e aproveitando-se da deixa, nos convidou para um almoço executivo em um lindo Motel, pedindo que eu escolhesse a suíte, pois este momento seria especial para nós. Dia 26 de janeiro de 2012, numa quinta feira chuvosa, marcamos de nos encontrar em um hipermercado, pois íamos deixar nosso carro la. Ele já me avisou que ia reservar a tarde toda para estarmos juntos. Na noite anterior ao tal encontro mal consegui dormir, pois finalmente iríamos realizar aquela fantasia. Naquela tarde chuvosa estava friozinho e não pude colocar o vestidinho que tinha escolhido, mas a calcinha foi escolhida com muito carinho para este primeiro encontro. Fui de calça jeans, uma blusa preta, salto alto, bem maquiada, cabelos escovados e muito perfumada. Marcos, como já descrevi, é alto, moreno bem claro, cabelos grisalhos, coxas grossas e tem uma bela bunda, enfim um charme de homem. Ele estava elegante e vestia jeans com uma camisa toda listada. Meu marido estava mais despojado, mas também elegante para este momento especial para nós.
Chegamos ao motel e, ainda dentro do carro, enquanto a atendente liberava a suíte, Marcos me beijou com vontade, me deixando de pernas bambas e quase sem fôlego, pois afinal nunca havia beijado outro homem na frente do meu marido. Entramos naquela bela suíte de motel e assim que coloquei a bolsa numa mesinha, Marcos me puxou para junto dele de uma forma tão gostosa que senti minha boceta pulsar dentro daquela minúscula calcinha preta que eu comprara especialmente para este encontro. Os beijos duraram o tempo suficiente para que eu percebesse o quanto seria boa aqueles momentos a três. Enquanto a sua boca percorria cada centímetro do meu corpo, eu percebia o cacete dele pulsando dentro da calça. Meu marido já estava na cama, ainda de roupa, mas observando atentamente a safada da esposa dele que estava ali beijando e sendo acariciada por outro macho como ele sempre desejou. Eu já não agüentava mais de tanto tesão, quando marcos começou lentamente a tirar cada peça da minha roupa. Primeiro a blusinha e em seguida começou a mordiscar meus seios. Aquelas chupadas dele me deixavam cada vez mais tesuda e da cama meu marido apenas observava e começava a tocar no pau por cima da calça. Em seguida Marcos desabotoou minha calça e lentamente foi tirando-a. Resolvi ajudá-lo, pois ainda tinha a sandália de salto e outros acessórios. Aos poucos também fui tirando a sua roupa, deixando-o apenas com aquela linda cueca branca e, ai sim percebi aquele volume que me deixou ainda mais tarada em senti-lo logo dentro de mim. Marcos me conduziu até a cama e com os dedos afastou lentamente a minha calcinha de ladinho e começou a me chupar todinha. Minha boceta tava inchada, muito molhada e eu com muito tesão por aquele homem que afinal ia realizar a fantasia do meu marido, e porque não dizer a minha também. Nessas alturas de nossa excitação o safado do meu marido já estava apenas de cueca e, enquanto o Marcos me chupava com maestria, ele ficava dizendo baixinho no meu ouvido: vai sua safada, vadia, minha putinha e apertava meus seios, enquanto o Marcos já tinha tirado minha calcinha e eu ali peladinha nos braços de dois homens. Fui ao delírio quando o Marcos introduziu dois dedos em minha boceta fazendo um movimento de vaivém, enquanto lambia deliciosamente meu grelo. Nossa! aquilo era enlouquecedor de tão gostoso, pois meu marido agarrava meus seios com força, chupando-os com volúpia e o Marcos foi aumentando os movimentos até que não agüentei mais e gritei que iria gozar. Foi um gozo intenso demais, que eu tremia toda de tesão e quase arranquei os cabelos do Marcos de tanto que puxei. Ele saiu do meio de minhas pernas e me beijou, introduzndo os dedos em minha boca, me fazendo sentir o gosto do meu próprio gozo. Eu queria mais e comecei a acariciá-lo, ainda por cima da cueca, que logo tirei e passei a chupar aquele cacete grosso e delicioso. Marcos me pedia para que eu olhasse pro meu marido enquanto chupava seu pau. Comecei a beijar seu corpo todo, até chegar ao saco, onde lambi bem gostoso, desci mais a boca e lambi a sua virilha, até chegar ao bumbum dele. Fiquei com muito tesão fazendo isso, pois adoro lamber um cuzinho. Adoro essas preliminares e, ora chupava o pau do Marcos por baixo, ora lambia seu orifício anal, fazendo aquele pau ficar ainda mais duro. Marcos dizia ao meu marido que eu chupava muito gostoso e meu marido concordava dizendo que eu era uma puta na cama. Enquanto lambia a cabeça do pau dele, ao mesmo tempo olhava para eles com cara de safados, vendo a puta deles ali muito tesuda. Meu marido, louco de tesão, dizia que eu era uma puta vadia e safada e que adorava rola e iria meter muito naquela tarde. Eu queria mesmo ser a puta de dois homens naquela cama. Comecei a chupar meu marido também, afinal, ele estava tesudo, com seu pau duríssimo, vendo outro homem comigo. Enquanto eu chupava meu marido, o Marcos veio por traz e começou a enfiar a ligua no meu cuzinho, e logo colocou o preservativo e foi introduzindo aquele cacete gostoso dentro da minha boceta toda melada. Eu pedia a ele para me foder com força, enquanto meu marido falava pro Marcos que eu gostava de levar uns tapinhas na bunda quando estava sendo penetrada naquela posição. Marcos, doido de tesão, me socava forte com aquele pau grosso que me preenchia toda. Fiquei ainda mais doida de tesão quando meu marido disse ao Marcos que nas nossas fantasias eu sempre queria dois pau na boceta. Ouvindo isso o Marcos me pediu que eu sentasse no pau do meu marido e veio por traz e colocou seu pau também dentro da minha boceta. Foi uma loucura, e parecia que minha boceta apertadinha seria rasgada ao meio. Senti um pouco de dor, mas foi uma dor deliciosa, até que meu marido gozou intensamente e o Marcos continuou socando aquele pau em cima da porra do meu marido. Aquilo me deu um enorme tesão e disse ao marcos que ia gozar e ele gritando me disse que também ia gozar. Após o gozo ficamos conversando durante um tempinho, relaxamos por alguns minutos, e fui tomar um banho. Voltei para a cama e Marcos veio me beijar, em seguida desceu sua boca em direção à minha boceta, lambendo-a com delicadeza e depois bem rápido. Tive um orgasmo intenso e gostoso, pois o nosso amigo me chupou deliciosamente. Já se passavam das 14 horas e fizemos uma pausa para o almoço. Marcos abriu uma garrafa de vinho e nos serviu em belas taças de cristal. Adorei aquele gesto dele, pois alem de safado soube ser gentil na hora certa.
Após o almoço dei uma pequena relaxada de uns 10 minutos, enquanto meu marido e o Marcos conversavam sobre sexo. Derrepente senti o Marcos beijando minha nuca, mordiscando minhas orelhas e me deixando doida de tesão novamente. Ele foi descendo a boca pelas costas até chegar em meu bumbum, onde delicadamente abriu-o e introduziu a língua em meu buraquinho. Nossa!, foi delicioso, eu dizia ao meu marido que ele estava enfiando a língua em meu cuzinho e ao mesmo tempo colocando o dedo na minha bocetinha, e eu adorando. Ele dizia que eu era puta e puta gostava disso. Pedi ao Marcos para deixar beijá-lo também, e assim ele deitou-se de bruços e eu coloquei a minha boceta em seu bumbum, e comecei a esfregar. Falei que se eu tivesse um pau, iria comê-lo bem gostoso e sem dó, pois tinha uma bunda deliciosa. Parei e comecei a beijar suas costas, até descer em seu rabinho, enfiei a língua e lambi, exatamente como ele havia feito comigo. O marido começou a bolinar meu cuzinho, preparando-o para nosso amigo. Introduzia os dedos com bastante gel, para ele ficar bem laceadinho. Pediu ao Marcos para me enrabar, e eu me posicionei de quatro, mas estava muito apertado, e foi difícil entrar todo seu pau grosso em meu orifício anal, mas quando finalmente penetrou todo aquele pau grosso na minha bunda, ele ficou curtindo entrar e sair e ficava dizendo ao meu marido que eu tinha um cuzinho delicioso e apertado. Meu marido doido de tesão me pedia para me reganhar toda, pois eu eu era vadia e gostava de dar a bunda. Eu estava curtindo demais, e fiquei ainda mais louca de tesão quando meu marido pediu que eu sentasse no pau dele, mas sem tirar o pau do Marcos de dentro do meu cuzinho. Montei em seu pau duro sem tirar o pau do Marcos do meu rabinho. Parecia que seria rasgada ao meio por dois cacetes bem grossos, mas aquela sensação foi a mais gostosa que já tive no sexo. Eu gemia alto sentindo o vai e vem de dois paus me preenchendo toda. Ficamos nessa posição por alguns minutos até que meu marido explodiu em um gozo muito intenso que senti sua porra quente subindo dentro de minha boceta. Não agüentei e, sentindo o pau do meu marido, ainda duro na minha boceta melada, e o nosso amigo no meu rabinho, olhei firme nos olhos do meu marido e disse que ia gozar. Gozei intensamente naqueles dois cacetes que me preenchiam totalmente. Marcos continuou metendo no meu rabinho, enquanto eu sentia a porra quente do meu marido escorrer da minha boceta, junto com meu gozo. Paramos um pouco, pois tava louca pela lingua do Marcos, e fui tomar um banho. Quando voltei para a cama Marcos caiu de boca na minha boceta me chupando muito gostoso. Senti os dedos do Marcos entrando na minha bocetinha e a língua dele no meu grelo.
Aquilo foi delicioso e não me agüentei e tive um orgasmo intenso na língua do nosso amigo. Em seguida ele veio e meteu forte na minha boceta melada. Coloquei minhas pernas no seu ombro e ele me pegou muito forte que sentia as suas bolas batendo em mim. Meu marido ali do lado acompanhava cada segundo do meu prazer. Eu passava a mão no seu rosto com a cara de vadia e perguntava a ele se estava gostando do desempenho da sua putinha no primeiro ménage da vida dela. Meu marido sorriu e me pediu que para eu chupar o nosso amigo. Marcos tirou o pau da minha boceta, e agora sem o preservativo, comecei a bater uma gostosa punheta para ele, enquanto chupava a sua rola grossa. Marcos tava com muito tesão e me avisou que ia gozar na minha boca. Olhei para meu marido e ele aprovou a idéia, pois isso também fazia parte de nossas fantasias. Os movimentos de minha boca no pau do Marcos aumentaram e logo ele inundou-a com a sua porra quente.
Após horas de intenso prazer eu havia gozado muito e tava muito feliz por realizar a fantasia do meu marido. Ficamos os três, ali deitados naquela cama por alguns minutos, refazendo as energias e já combinando uma nova saída, pois o Marcos quer ser nosso FF e com certeza vai ser muito melhor da próxima vez. Resolvemos criar um MSN para contatos com pessoas que tem os mesmos desejos nossos e, principalmente para aqueles casais indecisos (normalmente somos nós as esposas que demoramos a decidir, pois nossos maridos são mais safados). Podem nos adicionar, principalmente os casais, para trocarmos experiências sobre os prazeres que o sexo nos proporciona. Resumindo: eu diria que valeu a pena, tanto que resolvi escrever este conto contando os mínimos detalhes da realização dessa fantasia. Perdoe-me pelo tamanho do livro, mas eu precisava contar toda a nossa história desde o início, pois afinal aquela frase do início: “ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA TANTO BATE ATÉ QUE FURA” é a mais pura realidade e eu sou prova disso.
Nosso MSN para contato é: mulhercasada_42@hotmail.com.
Aguardamos os comentários no nosso email. Beijos a todos do casal Mônica e João de Londrina - Paraná.

26 de fev de 2012

Um Voyeur em Minha Vida

Não sei porque um cara desconhecido pediu pra me add no face, meu e de meu marido, e começou a mandar msm de elogios e depois de alguns dias, confessou que era voyeur discreto, porque era casado e a mulher não sabia, e não topava se exibir em lugares que ele queria. Depois de algum tempo de troca de msm e convencidos de que o cara era realmente o que dizia, resolvemos, idéia de meu marido, dar uma saída pra eu me exibir e paquerar com o cara. Marcamos num barzinho em Jampa, e qdo R Antonio, o voyeur, chegou, enfim nos conhecemos pessoalmente, e começamos os nossos planos. Tinha colocado uma clusa com um decote provocante, uma saia curta, salto alto, e uma calcinha pequeníssima, fiquei do lado de meu marido e R Antonio na frente, e de vez em quando dava uns beijos no meu marido e com o pé por baixo da mesa esfregava a perna do amigo. Fui ao banheiro várias vezes pra ele ficar me olhando por trás na cara de meu marido, que estava adorando a situação, sempre conversando sobre amenidades, e de qdo dava, fazia elogios a mim, no que o nosso amigo concordava e disse cochichando no ouvido do meu marido que era muito gostosa e que meu marido era um privilegiado. Saímos do barzinho e fomos pra um motel, ele no carro dele e nós no nosso, mas ele veio pra nossa suíte, e ficou assistindo ainda na garagem meu marido me agarrando, levantando minha saia para ele ver minha bunda e minha calcinha enfiada. Eu botei o pau do meu marido pra fora e dei uns beijos, depois o peguei e sai puxando para o apto, e nosso amigo assistindo tudo e nos acompanhando a certa distância se masturbando. Tirei a blusa e a saia, e desfilei de calçinha bem pequena pra ele admirar meu corpo, sentei no colo de meu marido, rebolei bastante...e depois comecei a chupar meu marido enquanto virava minha bunda pro lado do nosso amigo, tava super excitada, queria dar pra os dois, mas meu marido me disse no ouvido que o cara era voyeur e queria só assistir. Montei no pau de meu marido e cavalguei muito, de vez em quando olhando pro cara, que tava de olhos vidrados não perdia um lance e com o pau na mão, um pau lindo, reto, branquinho, mas meu marido não deixou pegar e o cara não forçou a barra em nenhum momento. Perguntei a meu marido se podia fazer perguntas a ele enquanto a gente transava, o que ele aceitou, Perguntei, e ai, tah gostando do que ver? Pode dizer. Ele disse Vc é muito gostosa, uma tarada, gosta mesmo de sexo e sabe o que faz... hhummm fiquei super envaidecida e rebolei ainda mais pra ele ver e meu marido gozou na minha buceta, enquanto eu gemia alto até chegar no auge tb. Acho que nosso amigo Tb gozou, pois logo pro banheiro e tivemos que esperar ele sair.
Depois nos despedimos e nosso amigo se foi satisfeito e nós muito mais. Liguei pra ele ainda no caminho de casa e disse que tava masturbando meu marido dentro do carro... ao fazer Le gozar de novo... nosso amigo me chamou de safada.. gostosa... bunduda... e disse que adoroou nos conhecer. Nosso é gente responsável, sabemos sua profissão e outros detalhes de sua vida, o que nos deu mais tranqüilidade e confiança para novas aventuras, Ele é realmente super discreto. Só em participar dessas aventuras sem a mulher dele saber neh. Ficamos amigos. Bjos a todos.

MARIA